quarta-feira, 3 de agosto de 2011

O cavalo selvagem dentro de mim

Há dentro de mim um cavalo selvagem que não consigo domar, cavalga livre pelos prados e vales da minha vitalidade escondida e vai beber água à coragem inquebrável que circula nas minhas veias quando estás por perto. Nunca o tentei domar porque sei que os cavalos selvagens não foram feitos para rédeas e truques de equitação. Se o fizesse, de certeza que ele morreria e tudo o que vale a pena desapareceria.

Há dentro de mim um cavalo selvagem que sonha o que não me atrevo. Mas escondo toda esta agitação da amargura do mundo porque sei que me chamariam de louco. Durante a noite, quando toda a gente está a dormir, falamos baixinho sobre as viagens à volta do mundo que iremos dar, conversamos sobre os livros que um dia publicaremos e planeamos a revolução que irá mudar o mundo de uma vez por todas.

A maior parte das pessoas não acredita que um cavalo selvagem possa cavalgar dentro de um ser humano. E é natural que pensem assim porque raramente ele se deixa observar e só por uma vez permitiu que alguém se aproximasse: foi quando tu apareceste e de imediato o cativaste, como se fossem apenas um, carne da mesma carne, sangue do mesmo sangue. E então aconteceu um milagre: montaste-o e ele levou-te a passear por sítios dentro de mim que nem eu julgava existirem.

Quando te foste embora, o cavalo selvagem dentro de mim desapareceu. Nunca mais o vi e daqui a uns anos vou pensar que era apenas um mito, que nunca existiu. Sei que ele ainda vive e que está escondido à espera que tu voltes. Mas se demorares muito pode morrer de sede e fome, porque o rio de coragem secou e os vales são agora desertos onde nada cresce.

14 comentários:

Anónimo disse...

Muito bonito, comovente, escreve maravilhosamente.

Espero que a pessoa a quem se destina leia e volte.

José Cardoso de Morais disse...

Muito obrigado pelo comentário! Você escreve muito bem! Parabéns!

Cláudia Benevides disse...

Adorei o texto!
Mas dentro de mim não é um cavalo selvagem que vive...rss.

http://www.draclaudiabenevides.blogspot.com/

Tαtαh disse...

Vs escrevee muiiiito beeeim.. Parabéèns!!!

Dá uma passadiinha lá tbm! Teenho certeza de qe vaai adoraar!!!

http://echidellanima.blogspot.com/

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

Lindo! Adorei mesmo!

Anónimo disse...

Um amor não assim não devia ser desperdiçado.

Joana disse...

Este é o mais belo texto que já escreveu no blogue. O 3.º parágrafo então é de uma perfeição... Escreva mais e muito, que tanto talento não pode ser desperdiçado.

Anónimo disse...

Parabéns pelo texto e pelo blog.

Excelentes!

Anónimo disse...

Entendi . Espero que sejas feliz.

Palavras Mortas disse...

Muito bom o texto,interessante a ideia de um cavalo como metáfora do seu próprio sentimento,legal.

Michelle Manz disse...

siga meu blog também http://www.pensamentosfundamentais.blogspot.com/

bia santos disse...

"Os sentimentos são como cavalos selvagens que não devemos domar"

Li essa frase em um livro do Paulo Coelho, já faz muito tempo...

Também gosto da sua escrita...

palavras ao vento disse...

um cavalo...correndo pela relva...acho que todos temos um pouco de um cavalo selvagem...dentro de nós...

António Borges disse...

Gostei muito, muito bem ecrito... e com algo que não me è estranho.