terça-feira, 9 de dezembro de 2008

O quarto do Padre

Aquele parque no meio da cidade era, da minha janela, um oásis verde rodeado por infinitos blocos cinzentos de cimento. De dia as árvores conversavam alegremente entre si e ao princípio da noite começavam um tango sensual ao som do vento – com a chegada do Outono, a dança tornava-se mais erótica e frenética, com corpos cada vez mais despidos e agitados, até ficarem completamente nus já no Inverno, gemendo em êxtase palavras só partilhadas com a chuva violenta. Todos os que por lá passavam esqueciam-se por breves instantes que o homem saiu vencedor do confronto com a natureza. Apenas o barulho infernal do cerco de arco-íris de carros fazia lembrar a nossa supremacia. No centro do parque, um velho sem expressão feito de perda era inundado por pombos que, vitoriosos, pareciam troçar das façanhas esquecidas de toda a humanidade.

Cá fora, o meu quarto era uma cela rúde, àspera e fria, parecendo mais pequeno à medida que os segundos passavam e se tornam horas, dias e meses. Vozes silenciosas vinham de todos os lados, com excepção de um crucifixo morto pendurado em cima da cama gelada. Do lado esquerdo ainda havia espaço para uma mesa vestida com uma bíblia e uma cadeira de madeira pôdre. De vez em quando as paredes choravam lágrimas de dor e solidão – parecia apenas humidade, mas a verdade era um segredo bem guardado e só revelado a quem ficava ali o tempo suficiente para saber ouvir as confissões insurdecedoras do silêncio.

25 comentários:

Smirnoff* disse...

vlw pelo toque la no erro!
xD

Lê Stabiili disse...

Nossa....que envolvente este quarto!!!

Tango sensual no vento!!!

Amei!!!

Muito bom o texto e o blog!!!

Passarei aqui mais vezes!!!

Abraço...boa semana!

politinagem disse...

Legalmente mórbido. "...o homem saiu vencedor do confronto com a natureza." Santa Catarina que o diga.

risadas disse...

parabens pelo post e pelo blog tb. esta muit bonito

http://risadass.blogspot.com

greatdj disse...

A comparação feita entre as estações e a sexualidade foi muito bem bolada!
Incrivelmente bem feito.
um ótimo texto.

R.L. disse...

obrigada :)

Publisher Girl disse...

Um quarto da época em que padre era aquilo que até hoje se idealiza.

Alisson disse...

Mude-se para o parque!

a felicidade nunca está num calabouço...
ela é livre!


www.dacordasuapaz.blogspot.com

Picolé de Chuchu disse...

Muito bom texto...

http://wwwpicoledechuchu.blogspot.com

Passa lá!!

Dário Souza disse...

Seu quarto é bastante deprimente

Vlado disse...

Muito bom, no começo cheguei a lembrar do poema A flor e a náusea do Drummond..."Uma flor nasceu da rua, furou o asfalto, o tédio e o nojo"...

Bem envolvente e quanto a ser deprimente isso é relativo, voltarei mais vezes!

passe no meu blog se vc puder, se gostar a gente pode fazer uma parceria de links:

www.oblogdosrf.blogspot.com

computaki disse...

parabens pelos textos que escreve!
http://computaki.blogspot.com/

Rosangela A. Santos disse...

Parabéns .. seu texto está pra lá de envolvente .. rsrs

gostei muito!!

Abç.
*
http://www.analucianicolau.adv.br

André disse...

poetico pra caralho. valeu a clicada sem demagogia...tem que melhorar...nao sei em que mas sempre tem que melhorar vida longa
abraços
www.blogdaincerteza.blogspot.com
fui.

Flávio Pinheiro disse...

Muito bom o texto....Dá pra imaginar todo o cenário....poético e envolvnte....Parabéns....

Ana M. disse...

Muito bo este texto e onterior ainda gostei mais

Lucas disse...

Quando eu percebi já tinha terminado. :(

Kazejin disse...

excelente as formas que você encontra para completar um temma ao outro, é com certeza um dom com as palavras

http://pangrama-virtual.blogspot.com/

Yo Carmo disse...

Querido amigo avassalador...
Gosto do fogo das suas letras... uma duvida...
voce acha que esses peixinhos combinam com o fogo dessas letras?
venha nos visitar
http://avassaladorasrio.blogspot.com

Guerreiras Vencedoras disse...

muito legal
amo detalhes e tu escreve muito bem
super detalhista

RaaH Ivie disse...

Lindo texto, totalmente envolvente e gostoso de ler :)
parabéns.
abraço.

Anónimo disse...

tu e a alegria triste,
também me lembro das estantes pejadas de livros,
e uma flor solitária

z

Priscila disse...

parabéns pelo blog :)

gostei bastante!

Leo Pinheiro disse...

Entre bíblias e crucifixos muitos segredos hão de se ouvir.

gelci disse...

Parabéns...
Texto inteligente e emocionante feito com muito bom gosto.
Gostei muito.
Paz ao teu coração e seja feliz.