sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Outono

O Outono deslizava lentamente pelo pequeno oásis da grande cidade. Era um parque cheio de plantas cultivadas e cuidadas pela Câmara, mas que resistiam teimosamente à intervenção humana e faziam crescer filhas rebeldes por entre os inanimados bancos de pedra. As àrvores dançavam nuas uma música sensual tocada sem pudor pelo vento e as gotas de chuva, que vinham do céu, refrescavam os troncos lascivos sob a terra seca e libertavam um cheiro puro de amor selvagem. Até as flores clonadas, artificiais, desinteressantes, pareciam descobrir instintos nunca imaginados e as ervas daninhas, primitivas, primárias, começavam a encontrar o ritmo da dança.

13 comentários:

' loory disse...

hmmm...
muito bom,
adoreeeei caat *--*
você escreve muito beem :D

beeijomeliga :*

http://kisscallmelater.blogspot.com

Tђαммy disse...

Que delícia de texto!
Dá uma incrível paz de espirito
:-)
Beijosss

R.P.S. disse...

boa! =)

Cleiton disse...

Adorei!

ja está "linkado" no meu blog!


de uma passadinha quando puder!

TRabalho com o mesmo tipo de texto, descritivo narrativo!


http://www.gregoryzairuz.blogspot.com/

Lidianne Andrade disse...

lindo
muito bom
vc escreve livros??

Garotas em crise disse...

adoreii
bem filosófico

Malukões disse...

Eu acho bem legal o jeito que vocês fazem isso... queria eu conseguir descrever assim... Parabéns!

http://malukoes.blogspot.com/

rfafla disse...

po nem entendi o que o texto que passar... x.x

mas ai cara, tu tem talento, continue assim!

Henrique Emidio disse...

tem técnica...

Marina Marins disse...

Muito bom ! :)

Anónimo disse...

sempre bom ler textos bem escritos como esse!
tomara vanham mais textos tão bom qto esses! ^^

visite/comente:
perfeitofalso.blogspot.com/

kilder disse...

parabens pelo blog! bem bacana...

All3X disse...

Fiquei aqui lendo alguns desses pensamentos e logo nesse senti como um daqueles contos que traz uma sensação de frescor.
Uma bucolidade esse clima campestre...
Muito bom, até mais